Noruegueses Caracteristicas

Norueguês da Floresta - Características


Com um temperamento que se pode descrever como dócil e sociável, os Noruegueses da Floresta gozam de uma grande facilidade de adaptação a novos ambientes (algo que permite que um simples apartamento seja suficientemente grande para lhe permitir evoluir sem constrangimentos), sendo muito chegados aos donos, é habitual que seleccione uma pessoa da família para seguir, tornando-se por vezes possessivo, requerendo atenção e carinho a todo o instante. Estes gatos dão-se bem com os outros animais incluindo cães (exigindo no entanto períodos de adaptação, devendo haver cuidados redobrados uma vez que há cães que não toleram gatos). São muito tolerantes com crianças. São destemidos, excepcionalmente inteligentes e naturalmente curiosos, adoram trepar, sendo os únicos gatos que descem das árvores de cabeça para baixo, muitas das vezes, em espiral.

Por vezes antes de beberem água dão-lhe palmadinhas com as patas, instinto que herdaram dos seus antepassados que viviam nos bosques e que tinham que partir o gelo dos riachos para poderem saciar as suas necessidades.

Define o standard da FIFe, que o seu pêlo seja formado por uma capa interna lanzuda e por pêlo de cobertura liso, impermeável à água e suficientemente comprido. No período do inverno, apresenta o colar, e os pêlos das patas posteriores são tão compridos que formam umas “palmilhas”, assim como uma cauda longa que neste período apresenta uma pelagem densa. Na Primavera, assiste-se a uma mudança que altera notavelmente o seu aspecto, reduzindo o pêlo num todo mas notando-se a alteração principalmente a nível do colar (as escovagens no período da Primavera e Outono, são de extrema importância, por forma a garantir a remoção do pêlo morto e evitar nós que por vezes dão origem a feridas).

A cabeça do Noruegueses da Floresta está tipicamente definida num triângulo equilátero, com um focinho é pontiagudo e queixo pronunciado. As orelhas são largas na base, compridas e bem abertas.

Os olhos são grandes, ligeiramente oblíquos e podem ser verdes, amarelos ou díspares. O seu corpo está solidamente implantado sobre patas fortes, das quais as posteriores são ligeiramente mais altas que as anteriores.

É um gato robusto e o seu peso ideal define-se entre os 6 a 9 Kg para os machos e 4 a 6 Kg para as fêmeas.

A cor do manto não é de todo casual, variando conforme as zonas de proveniência, sendo os mantos brancos ou cinzentos mais frequentes nas regiões nevadas, os azuis ou negros nas zonas costeiras, os tigrados nos bosques e os vermelhos e tricolores de zonas mais quentes.

Assim, das Características mais específicas, destaca-se:

Cabeça – De forma triangular, com os lados igualmente longos, nariz largo, longo e direito e queixo firme.
Corpo — Estrutura longa e musculada. Estrutura óssea sólida.
Olhos – grandes e ovais, bem abertos, ligeiramente oblíquos. Todas as cores são permitidas.
Cauda – longa e peluda; deve chegar pelo menos até à zona das omoplatas, mas preferencialmente até ao pescoço.
Orelhas – Medianamente grandes, largas na base e bastante abertas. Bastante espaçadas, inserção na zona lateral da cabeça, de tal forma que a base da orelha acompanha a linha que vai da cabeça ao queixo. Revestidas internamente por pêlos longos. As extremidades tipo lince são desejáveis.
Pescoço – De cumprimento médio e musculoso.
Patas – Medianamente compridas, musculosas e direitas. As patas posteriores são mais compridas do que as anteriores. Pés grandes, redondos, com tufos de pêlos compridos nas regiões interdigitais.
Pelagem – Pelagem dupla, pêlo semi-longo, sub-pêlo muito espesso e lanoso. O pêlo de cobertura é liso, lustroso, oleoso e impermeável. Todas as cores são possíveis, excepto o cinnamon, fawn e padrão siamês. É aceite qualquer porção de branco.

Saúde
Sendo um gato que se desenvolveu sozinho, o Norueguês da Floresta, é uma raça bastante saudável. Contudo a raça é afectada também pelos problemas presentes em qualquer gato.
A Doença de Depósito de Glicogênio Tipo IV parece contudo ser específica desta raça. Ambos os progenitores têm de passar o gene causador desta doença às crias, que regra geral acabem por falecer poucas horas após o nascimento.
Share by: